Hérnia de Disco
novembro 3, 2017
Caminha ou Corrida?
novembro 24, 2017
Exibir tudo

Diabetes

Benefícios da musculação para o paciente diabético

Hoje o treinamento resistido (mais conhecido como musculação), é o exercício físico mais procurado e indicado para a promoção de saúde e profilaxia de diversas doenças. Entre estas inúmeras doenças está a diabetes mellittus, que é uma doença do metabolismo caracterizada pelo excesso de glicose no sangue e na urina, que surge quando o pâncreas deixa de produzir ou reduz a produção de insulina, ou ainda quando a insulina não é capaz de agir de maneira adequada (0MS,2010).

Atingindo assim mais de 150 milhões de pessoas em todo mundo, sendo que no Brasil temos cerca de 7,6% das pessoas entre 30 e 69 anos com diabetes. Sabemos hoje que diversas condições podem levar a diabetes, porém a grande maioria dos casos está dividida em dois grupos: Diabetes Tipo 1 e Diabetes Tipo 2.

            Diabetes Tipo 1 (DM 1) – Essa forma de diabetes é resultado da destruição das células beta pancreáticas por um processo imunológico, ou seja, pela formação de anticorpos pelo próprio organismo contra as células beta levando a deficiência na produção de insulina. Em geral costuma acometer crianças e adultos jovens, mas pode ser desencadeado em qualquer faixa etária.

            Diabetes Tipo 2 (DM 2) – Nesta forma de diabetes está incluída a grande maioria dos casos (cerca de 90% dos pacientes diabéticos). Nesses pacientes, a insulina é produzida pelas células beta pancreáticas, porém, sua ação está dificultada, caracterizando um quadro de resistência insulínica. Isso vai levar a um aumento da produção de insulina (quando aumentamos a produção da insulina, inibimos a lipólise que é a quebra de moléculas de gordura, ou seja podemos engordar), para tentar manter a glicose em níveis normais. Quando isso não é mais possível, surge a diabetes. A instalação do quadro é mais lenta e os sintomas de sede, aumento da diurese, dores nas pernas, alterações visuais e outros – podem demorar vários anos até se apresentarem. Se não reconhecido e tratado a tempo, também pode evoluir para um quadro grave de desidratação e coma.

Em vários estudos realizados com pacientes portadores de diabetes, após 6 semanas de exercícios físicos de musculação supervisionados, já foi possível notar queda significativa de açúcar no sangue.

A queda pode ser explicada porque durante o exercício nossas células musculares que estão em contração necessitam de mais energia do que em repouso, sendo assim teremos que utilizar mais glicose (oriunda de carboidratos e açúcares), para produzir energia. Assim durante esta contração muscular os receptores de glicose (que são chamados de GLUT 4), ficam mais permeáveis, fazendo a glicose penetrar na célula sem precisar muito da insulina. Sendo assim pacientes diabéticos tipo I, após período regular de exercícios podem necessitar de quantidade menor de aplicações de insulina (gerando economia e menos desconforto com as aplicações)

Além da maior utilização da glicose pelo organismo durante o exercício, a longo prazo isso ocorre também pelo aumento da massa muscular, pois quanto maior for a massa muscular, maior a necessidade de glicose. O exercício resistido (musculação) pode fornecer também benefícios adicionais como a melhora na sensibilidade a insulina, que resulta em uma diminuição na quantidade necessária para manter o nível sanguíneo normal de açúcar.

            Portanto diante destas informações, a musculação pode e deve ser usada como uma terapêutica não medicamentosa para o tratamento e prevenção da diabetes.

Ms Ivan de Oliveira Gonçalves

EDUCADOR FÍSICO

CREF:021806-G/SP

Currículo resumido:

  • Doutorando em Biotecnologia (UMC)
  • Especialista em Quiropraxia (IBRAQ)
  • Mestrado em Biotecnologia (UMC)
  • Pós graduação em Reabilitação Cardíaca (UGF)
  • Pós graduação em Fisiologia do Exercício(UGF)
  • Licenciatura Plena em Educação Física (UMC)

Experiência Profissional no momento:

  • Professor Universitário (Grupo Uniesp)
  • Professor Convidado em pós-graduação (Ibrape)
  • Professor Convidado em pós-graduação (Faculdade de medicina/Santa casa)
  • Professor na Pós-graduação de Vigilância e saúde (UMC)
  • Coordenador Técnico do Centro de Idosos da P.M. Poá/sp
  • Educador Físico no PRO –HIPER da P.M. Mogi das Cruzes
  • Prescrição de exercícios físicos para pacientes em processo de reabilitação cardiovascular, osteoarticular e no envelhecimento.
  • Consultor Técnico na Academia ACQUAFITT/Suzano